Disaster recovery plan deve andar ao lado de uma estratégia de backup. Infelizmente, enxergar a solução como uma estratégia importante no setor de TI e não como uma atividade básica, que merece pouca atenção, ainda é um desafio entre instituições.

Dados podem ser perdidos com uma facilidade quase absurda: falhas humanas quando o backup é feito manualmente, problemas no sistema, invasões ou desastres. E quem recupera todo o sistema é o disaster recovery, através do backup.

Um plano de recuperação baseado na estratégia de backup consegue conter perdas significativas em qualquer situação.

E se o seu storage queimasse hoje? Sua empresa conseguiria se recuperar em tempo hábil, com o mínimo de danos? 

Neste artigo, você saberá como implementar uma rotina de backup assertiva na sua empresa

Tenha uma estratégia de backup

O backup gera cópias de segurança, atualizadas, para que as operações da empresa não sejam paralisadas em caso de imprevistos. Existem casos até mesmo de falência com a perda de dados e você deve ficar atento.

Certamente, você deve ter uma equipe de TI especializada para realizar esta tarefa ou uma empresa que ofereça o gerenciamento do software como serviço. Também, lembre-se que visualizar a tarefa com seriedade garante a continuidade das operações.

Ter cópias disponíveis para dar continuidade ao trabalho da empresa também é segurança. Um Next Generation Firewall e Next Generation Antivírus são recursos fundamentais para proteger as camadas mais profundas do seu sistema, por exemplos. Mas, um curto-circuito não está no ambiente virtual. 

Por isso, implemente uma rotina de backup e teste-a regularmente. Como fazer isso? Vamos te explicar. 

Como implementar uma rotina de backup? 

Agora que você sabe o quanto a estratégia de backup é importante para a longevidade da sua empresa, veja como fazer da melhor forma.

Em uma rotina de backup apropriada você deve determinar uma periodicidade que seja condizente com a quantidade dos dados. Certamente, você também irá precisar de um local específico para o armazenamento das cópias.

Lembre-se de definir sua estratégia em ordem de prioridade – aplicações, dispositivos específicos (se for o caso), arquivos e todo o restante da sua estrutura. 

Tenha um software específico e local para armazenamento

O software será responsável pela compactação, retenção, arquivamento e gerenciamento de todo o processo definido por você de forma automatizada.

O armazenamento pode ser feito em algum hardware específico ou no ambiente virtual, caso você tenha um espaço alocado em nuvem. Além de gerar as cópias de segurança, algumas soluções oferecem também recursos atribuídos ao disaster recovery – planejamento de recuperação de dados que abrange o backup e permite a retomada dos processos.

Bom, agora que você já sabe como implementar uma rotina de backup estrategicamente, vamos falar sobre disaster recovery. 

O que é disaster recovery?

A estratégia de backup é calculada e aplicada como complemento de um plano mais profundo, arquitetado com uma série de medidas específicas para conter perdas.

Não deve ficar só no campo das ideias, mas, documentado da forma apropriada.  Agora voltamos a tudo o que falamos sobre a rotina de backup: para que o plano de disaster recovery funcione, a estratégia de cópias que você definiu anteriormente deve estar em dia.

Ele deve estar em conformidade com os cálculos de tempo de recuperação (RTO) e ponto de recuperação (RPO), métricas importantes para o gerenciamento de ações de recuperação. 

A diferença entre backup e disaster recovery

Quando pesar nos dois conceitos, tenha em mente que o disaster recovery é um planejamento robusto que envolve uma série de análises. Também exige muito conhecimento da estrutura operacional de todos os setores.

Backup são as cópias utilizadas pela estratégia de disaster recovery (DR) para colocar os processos de volta no lugar, permitindo que tudo volte a funcionar normalmente. Tudo isso após uma série de testes e métricas estipuladas previamente. 

Em resumo, DR não deixa de ser uma gestão de crise. Backup é o recurso. 


Gostou do conteúdo? Compartilhe com colegas de profissão e marque a Strema no Instagram e LinkedIn.

Quer saber mais profundamente sobre backup e DR? Faça o download do nosso Guia Completo da Segurança de Dados.