Você já conhece o malware trojan, certo? Uma ameaça já conhecida no ambiente virtual. Atualmente, os vírus estão ainda mais sofisticados. O Next Generation Endpoint é da família do antivírus como você conheceu. A diferença principal na proteção de dispositivos é a quantidade de recursos de tecnologia avançada. Assim, consegue responder rapidamente a ameaças conhecidas, como o trojan, e ameaças desconhecidas.

É mais fácil combater algo que já conhecemos, naturalmente.

Será que sua infraestrutura de TI tem o suficiente para responder a algo que você não conhece?

Leia este artigo para conhecer os diferenciais de um Endpoint no combate a ameaças zero day.

O que é Endpoint?

Sempre é válido começar do zero. O Next Generation Endpoint oferece uma lista de vantagens para fortalecer o sistema de cibersegurança de uma empresa, sendo o antivírus apenas uma delas.

Com a premissa de proteção ‘’ponta a ponta’’ o software faz a leitura de todos os dispositivos ligados ao servidor principal da empresa, seja qual for a distância. Fundamental para empresas que trabalham com home office, uma tendência do futuro que foi apressada na pandemia.

Milhões de colaboradores acessando dados valiosos da empresa através de tablets, celulares e notebooks sem proteção? Acertou em cheio quem pensou que ficou muito mais fácil roubar dados.

Aumento exponencial de ataques cibernéticos

Na pandemia, a quantidade de casos envolvendo perda de dados explodiu. Empresas passaram a olhar para segurança de dados de última hora, pegas de surpresa.

O que está sendo chamado de ‘’digitalização forçada’’ já gerou bastante prejuízo.

Apenas em Julho de 2020, o Brasil foi alvo de 16 milhões de ataques de malware. Sem contar ameaças de ransomwares e phishing. O cenário perfeito para que hacker’s, rápidos e mais sofisticados, conseguissem invadir o sistema de suas vítimas para concretizar seus desafios. 

Ameaças zero day x endpoint

Conhecidas também como ‘’vírus do dia zero’’, são malwares desconhecidos por qualquer software existente. Passam facilmente despercebidos caso a empresa não tenha funcionalidades como deep learning e EDR, por exemplo. Mas, ainda vamos chegar lá.

As ameaças buscam vulnerabilidades que ainda não foram identificadas para conseguir atingir o seu objetivo e roubar dados. O ‘’exploit de dia zero’’ são ataques de malware que não foram desvendados, o que torna o tempo de resposta e resolução do problema mais lento.

Uma solução de alta tecnologia, atualizada com frequência, têm funcionalidades que conseguem bloquear as investidas de forma quase cirúrgica. 

Finalmente, chegamos ao ‘’pulo do gato’’ do Endpoint. 



Inteligência artificial contra ameaças zero day

Existem dois recursos do endpoint extremamente valiosos para a segurança de dados: machine learning e deep learning. Ambos trabalham a nível de aprendizado, em camadas. 


Recurso machine learning no endpoint

O machine learning permite a absorção automática e contínua sobre o comportamento de uma máquina. 

Aqui, o conhecimento sobre ações realizadas se acumulam para, posteriormente, reconhecer atividades suspeitas. 

Quer um exemplo? Você tem sua rotina na empresa, correto? A máquina entende horários, aplicações utilizadas, dados acessados e mais. Um algoritmo rico e assertivo.

Deep learning

Dentro do subconjunto de machine learning, há um nível mais profundo de aprendizado. Como o próprio nome já diz, o deep learning utiliza as informações reunidas a longo prazo e reage rapidamente no momento da detecção.

A tecnologia acelera o processo de identificação e torna possível que códigos desconhecidos sejam prontamente verificados. Quanto mais informações processadas, mais precisão: anti-exploit, anti-ransomware e mais.

Um diferencial no momento de averiguar qual software você deseja implementar no projeto de cibersegurança da empresa.

Cibersegurança avançada

Estes são alguns dos recursos do endpoint que não passam despercebidos. Estão entre os mais relevantes do Gartner para a segurança de dados, exatamente por sua exatidão caso alguma brecha tenha ficado para trás.

Por isso, considera-se o Endpoint uma solução fundamental para a integridade dos dados. Ataques já conhecidos ou desconhecidos serão percebidos: nada de ‘’zero day’’ por aqui.

Gostou do artigo? Você pode conferir mais conteúdos da Strema no Instagram e Linkedin. Te vemos lá!

Para aprofundar ainda mais nos temas, faça agora o download do Guia Completo da Segurança de Dados.